Tire suas dúvidas

Existe algum risco na doação de sangue?

Ao fazer uma doação de sangue o doador está totalmente protegido.

Não há contato com nenhum tipo de sangue, nem de material utilizado por outros doadores durante a doação.

Todas as agulhas e recipientes são descartáveis e manipulados por uma equipe de profissionais altamente especializadas.

Entretanto, por mais rígido que possa ser o controle de qualidade do sangue recebido, o único risco de contrair algum tipo de doença é do receptor, embora sejam raros os casos de contaminação com a transfusão de sangue.

Existem alguns requisitos básicos para doação?

    • Estar em boas condições de saúde.
    • Ter entre 16 e 69 anos.
    • Pesar mais de 50 kg.
    • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas) e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
    • Apresentar documento de identificação, emitido por órgão oficial, sendo aceita fotocópia autenticada do documento, desde que as fotos e inscrições estejam legíveis e as imagens permitam a identificação do doador.
    • Para doação de primeira vez o limite de idade é de 60 anos e jovens com 16 e 17 anos devem estar acompanhados de um responsável legal que assinará um termo de consentimento.

OBSERVAÇÃO:

Não serão aceitos doadores acompanhado de crianças menores de 8 (oito) anos sem a presença de um outro adulto para cuidar delas.

Qual o intervalo entre as doações?

  • Homens – 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses).
  • Mulheres – 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

Existem impedimentos temporários para doação?

    • Gravidez
    • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
    • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
    • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
    • Piercing nos últimos 12 meses (genital e oral, 12 meses após a retirada)
    • Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses.
    • Bebida alcoólica nas ultimas 12 horas
    • Situações nas quais houve maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis e pelo sangue: aguardar 12 meses.
    • Viagem ou permanência em área com alta prevalência de malária como: Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins é necessário aguardar 12 meses
    • Qualquer exame endoscópico - endoscopia digestiva alta, colonoscopia, etc – ( se com biópsia, é necessário avaliação do resultado) - por 6 meses a 01 ano.
    • Tratamento dentário: Extração dentária (verificar uso de mediação); tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias
    • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
    • Febre continua e suores noturnos

Quando não devo doar sangue?

  • Febre continua e suores noturnos
  • Cansaço e fraqueza anormais para desenvolver as atividades habituais
  • Emagreciemnto sem causa aparente
  • Diarréia prolongada
  • Gânglios (ínguas) pelo corpo sem causa aparente
  • Hipo/hipertireoidismo auto imune (se alteração de tireoide por outras causas, trazer laudo médico para liberação)
  • Ser ou ter sido usuário de drogas injetáveis
  • Ter tido doença sexualmente transmissíveis (DST) no último ano
  • Ter mantido relação sexual com parceiro(a) ocasional no último ano
  • Ter mantido relação sexual, no último ano, com parceiro(a) que apresenta pelo menos uma das características descritas acima
  • Somente para realizar exames como teste para HIV ou para hepatite. Você poderá colocar em risco a saúde do receptor do seu sangue.

Nessas situações, procure o CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento ou a Unidade Básica de Saúde de seu bairro.

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) realiza testes para HIV, sífilis e hepatites B e C gratuitamente. O atendimento nesses centros é inteiramente sigiloso e oferece acompanhamento por uma equipe de profissionais que orientará sobre resultado final do exame, independente dele ser positivo ou negativo.

“SANGUE SEGURO COMEÇA COMIGO – HONESTIDADE TAMBÉM SALVA VIDAS”: sua honestidade em todas as informações e respostas vai nos ajudar a fazer com que o processo de doação seja mais seguro para você e para os pacientes que irão receber o seu sangue.

Quem tomou vacina pode doar?

Pode doar após 48 horas:

    • se recebeu vacina preparada com vírus ou bactéria mortos, toxóide ou recombinantes. Ex.: cólera, poliomielite (salk), difteria, tétano, febre tifóide (injetável), meningite, coqueluche, pneumococo.
    • se recebeu vacina contra gripe.

Que doenças impedem a doação de sangue?

Por uma semana:

    • diarreia;
    • extração dentária (verificar uso de mediação).
    • tratamento de canal (verificar medicação).
    • gripe ou resfriado e conjuntivite.

Por duas semanas:

    • após o término do tratamento de infecções bacterianas (uso de antibióticos).
    • após a cura de rubéola.
    • após a cura de erisipela.

Por três semanas:

    • após a cura de caxumba.
    • após a cura de varicela (catapora).

Por quatro semanas:

    • se recebeu vacina de vírus ou bactérias vivos e atenuados. Ex.: poliomielite oral (sabin), febre tifóide oral, caxumba, febre amarela, sarampo, bcg, rubéola, catapora, varíola etc.
    • se recebeu soro antitetânico.
    • após a cura de dengue.
    • cirurgia odontológica com anestesia geral.

Por três meses (independente se homem ou mulher):

    • se foi submetido a apendicectomia.
    • se foi submetido a hemorroidectomia.
    • se foi submetido a hernioplastia.
    • se foi submetido a ressecção de varizes.
    • se foi submetido a amigdalectomia.

Outras causas de inaptidão temporária ou definitiva serão avaliadas na triagem clinica do doador, conforme legislação vigente.

Existem doenças que impedem definitivamente a doação?

Sim .

    • Evidência clínica ou laboratorial dasseguintes doenças transmissíveis pelosangue: hepatite B e C, AIDS (vírus HIV);
    • Doenças associadas ao HTLV I/II e doença de chagas;
    • Hepatite após os 10 anos de idade;
    • Malária;
    • Recebeu enxerto de duramater;
    • Câncer, incluindo leucemia;
    • Problemas no pulmão, coração, rins ou fígado;
    • Problema de coagulação de sangue;
    • Diabetes com complicações vasculares ou em uso de insulina;
    • Tuberculose extra-pulmonar;
    • Elefantíase;
    • Hanseníase;
    • Doença de calazar (leishmaniose visceral);
    • Brucelose;
    • Esquistossomose hepatoesplênica;
    • Alguma doença que gere inimputabilidade jurídica;
    • Transplante de órgãos ou de medula;
    • Uso de drogas injetáveis;
    • Antecedente de acidente vascular cerebral (derrame);
    • Hepatite após 10 anos de idade;

Na hepatite por medicamento, o doador estará apto após a cura e avaliação clinica;

A Hepatite A, após os 11 anos de idade, o doador deverá trazer o diagnostico da doença para ser avaliado pelo médico da triagem.